© 2019 por UP - Centro Infantil de Terapias & Educação

Contacte-nos: 218 061 816 - 937 841 494   |   geral@centroup.pt   |   Rua Garcia de Orta, nº9A, 2800-096 Almada

Centro registado na Entidade Reguladora de Saúde sob o número E142206.

  • Facebook
  • Instagram

FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA PEDIÁTRICA

A Fisioterapia Respiratória Pediátrica, também conhecida como ginástica respiratória ou cinesioterapia respiratória, é uma das formas de tratamento de problemas respiratórios, como a tão falada bronquiolite, em recém-nascidos, bebés ou crianças. Esta infeção é mais frequente no Inverno e no início da Primavera, sendo considerada uma infeção que promove a produção exagerada de secreções, diminuindo o calibre das vias aéreas respiratórias, podendo levar a dificuldades respiratórias. A acumulação de secreções começa ao nível da via nasal que, se não for limpa com alguma frequência, através do soro fisiológico, pode levar a acumulação das secreções nas vias aéreas mais distais.

 

Objetivo da Fisioterapia Respiratória: Ajudar a eliminar as secreções acumuladas nas vias aéreas, de modo a normalizar a função respiratória do recém-nascido, bebé ou criança.

 

O que é a Fisioterapia Respiratória?

Consiste na aplicação de técnicas manuais que permitem mobilizar e eliminar as secreções do recém-nascido, bebé ou criança quando a tosse não é eficaz, as secreções encontram-se nas vias respiratórias distais (mais profundas) não sendo possível libertá-las autonomamente ou quando as secreções se encontram demasiado espessas. 

Estas técnicas consistem na reprodução do movimento normal de inspiração/expiração através das mãos do fisioterapeuta, permitindo a subida das secreções, de forma a serem expelidas posteriormente pela tosse (tosse provocada quando o bebé/criança não consegue tossir autonomamente).

Quando se deve recorrer à Fisioterapia Respiratória?

Deve-se recorrer quando ocorre:

  • Obstrução nasal;

  • Tosse;

  • Aumento de secreções;

  • "Farfalheira" (acumulação de secreções);

  • Outros sintomas indicativos de infeção respiratória são as alterações do sono, alterações de apetite, prostração e febre.

Se considera que o seu bebé/criança pode beneficiar deste tipo de Fisioterapia, não hesite em contactar-nos.

A nossa equipa de Fisioterapeutas está disponível para esclarecer todas as suas dúvidas!

A Fisioterapia não é aconselhada quando a criança apresenta febre, sinais de dificuldade respiratória à auscultação, a tosse não é produtiva (tosse seca), ou quando, à auscultação, denota-se que não há acumulação de secreções e que a criança apenas com a sua tosse eficaz consegue expelir as mesmas.

 

Na sessão de Fisioterapia Respiratória são também passadas estratégias preventivas, capacitando os pais/cuidadores da colocação do soro fisiológico de forma eficaz, prevenindo, desta forma, a acumulação de secreções e futuras infeções respiratórias.

É importante explicar aos pais/cuidadores que, apesar do choro do bebé/criança durante a sessão de Fisioterapia Respiratória, a mesma não provoca dor. Muitas vezes, o toque e o facto de estarmos a obrigar a manter uma posição ou a introduzir o soro fisiológico é o suficiente para criar desconforto na criança. Os pais podem sempre ficar a observar a sessão e é fundamental explicar todo o processo e as vantagens que podem surgir da Fisioterapia.

 

Todos os conselhos e dicas serão dados às famílias permitindo um Inverno e uma chegada do bom tempo mais tranquilo!

Contributo de:

Dra. Filipa Ribeiro, Fisioterapeuta